Patrick Davidson

Patrick Davidson

Informações sobre o piloto

Biografia do piloto

Declarações do Piloto

Patrick Davidson vai estrear-se na Red Bull Air Race em 2018 e é o primeiro piloto da Challenger Class a representar as cores da África do Sul. Para muitos fãs da aviação desportiva, este é um nome conhecido, graças às várias conquistas nacionais e internacionais em competições acrobáticas. Além disso, Davidson também é líder de uma esquadrilha que participa em shows aéreos um pouco por todo o mundo.

Nascido em 1982, Davidson é originário de uma família muito ligada à aviação – tanto o seu pai como o seu avô foram pilotos de formação muito considerados. Não espanta por isso que tenha crescido num aeródromo e que o seu pai tenha sido o seu grande mentor e treinador. Depois de conseguir a licença de piloto com apenas 17 anos, o sul-africano foi o mais jovem do seu país a sagrar-se Campeão de Acrobacia, com apenas 25 anos. Foi assim que garantiu a sua primeira participação num Campeonato do Mundo de Acrobacia da FAI.

Durante a década seguinte, Davidson não só amealhou ainda mais título nacionais, como alcançou inúmeros pódios em Campeonatos do Mundo. Neste campo, destaque para o terceiro lugar individual na geral e para a medalha de prata conquistada com a equipa da África do Sul. A carreira continuou além fronteiras em vários eventos internacionais, incluindo na China, facto que mereceu o seu reconhecimento interno ao ser nomeado piloto do ano em 2014 e 2016 pelo Aeroclube da África do Sul.

Paralelamente à competição, Davidson é um apaixonado pelo restauro de aviões históricos, aparecendo frequentemente aos comandos destes clássicos em eventos. A sua coleção pessoal inclui caças da Segunda Grande Guerra, aviões de acrobacia e até um jato. Juntando à vertente desportiva uma vasta experiência como piloto comercial, conta com mais de 2500 horas de voo em mais de 30 aeronaves diferentes.

"Pertencer à Red Bull Air Race é um dos momentos mais altos da carreira de qualquer piloto acrobático. Aqui vivemos uma forma diferente de voar e vou fazer tudo para aprender o mais possível. Conhecendo-me como conheço, sei que vou querer chegar longe!" explica Davidson. "É uma honra e um grande privilégio poder representar a bandeira da África do Sul neste desporto."